Midsize: o que é o termo e tudo sobre o movimento

midsize-o-que-é-o-termo-e-tudo-sobre-o-movimento-photo-4 autoestima

Sou plus ou mid size? Já passou essa dúvida pela sua cabeça? Essa é uma palavra que ganhou destaque nos últimos anos, então é completamente normal se confundir com ela ou até desconhecer o seu significado por completo.

No entanto, para contribuir com a auto aceitação de mulheres gordas, com a abrangência de todos os tipos e tamanhos de corpos nas indústrias e com a democratização desses termos importantes, é essencial conhecê-los.

Por isso, neste post vamos iniciar a nossa tour esclarecendo o que é, a origem, como identificar e as diferenças entre plus size e mid size. Vem tirar as suas dúvidas!

O que é mid size?

Mid size é uma palavra que foi criada para definir o biotipo entre magro e gordo. Em uma tradução literal, ela significa “tamanho médio”.

Como o termo plus size foi popularizado primeiro, posteriormente houve a necessidade de uma nova denominação para pessoas que não se encaixam nesses dois tamanhos polarizados. Que são muitas, aliás!

Mas vamos adiantar um detalhe: o termo não tem o objetivo de segregar as mulheres em mais uma categoria, e sim trazer à tona o movimento de body neutrality, que define que os biotipos não importam: o essencial é visualizar todos eles de uma forma neutra.

Ou seja, sem apontar preferências, opiniões ou preconceitos que carrega para outros seres humanos! Dentro desse movimento, terminações como mid size são importantes para mostrar que todos os corpos são válidos, reconhecidos e importantes.

É muito mais que uma palavra, é um meio de dar voz às mulheres que não se identificam como magras, mas que também não se encaixam nos tamanhos contemplados no temos plus size.

Qual é o objetivo do termo mid size?

O objetivo do mid size é representar a pluralidade feminina, mas sem colocar as mulheres em caixas de pré-requisitos ou estabelecer novos conceitos. Longe disso!

Nós já temos muitos desses conceitos em processo de desconstrução e não estamos buscando mais um. Na verdade, queremos acolher as mulheres como elas são, então o mid size veio para unir quem, até então, não sabia como denominar o seu biotipo de uma forma apurada.

Além disso, é muito importante lembrar que o movimento não tem o intuito de deslegitimar a importância do plus size. Os dois termos podem coexistir em harmonia, trabalhando juntos para o mesmo objetivo: alcançar a aceitação e a valorização de corpos não-magros em ambientes e plataformas que ainda os restringem.

Leia também – Moda dos anos 90: 10 características e como combinar looks

Qual a origem do termo midsize?

Em uma entrevista que fez em 2016, a comediante Amy Schumer, um ícone americano, declarou não se sentir representada pelos tamanhos que existiam na época para definir biotipos corporais.

No mesmo ano, a revista Glamour americana fez uma edição incrível com Ashley Graham, Adele e outras famosas que fogem do padrão magro, abrindo a discussão sobre autoestima e a sua posição na indústria.

Mulheres do mundo inteiro se sentiram representadas por essas conversas e geraram discussões extremamente necessárias, como uma sobre as nossas dificuldades para encontrar roupas.

“Onde é a seção plus size?”, “Será que o 44 vai servir direito?”, “Por que as roupas em tamanhos amplos não vestem bem?” são algumas das perguntas que nós – e, com certeza, vocês – já tivemos que fazer na hora de comprar peças de vestuário.

Isso mostrou o problema gravíssimo da segregação de mulheres não-magras em lojas de varejo e a inexistência de roupas que contemplam todos os biotipos e tamanhos.

A partir disso, o movimento mid size ganhou espaço e chegou para contemplar as pessoas que estavam no meio-termo das classificações corporais – e que, consequentemente, não encontravam roupas adequadas para si.

Midsize é qual tamanho?

Nos EUA, o manequim mid size fica entre 44 e 56. No Brasil, ainda há discussões para essa classificação: o plus size é a partir do 48, mas o midsize não tem um ponto de partida bem definido. Nós, da Almaria, julgamos que é do 42 ao 46.

Contudo, mesmo com a existência dos tamanhos mid, infelizmente ainda há marcas tradicionais que consideram o tamanho 44 (ou até menor!) como plus size.

Nós sabemos que essa definição é equivocada e prejudicial para a autoestima de mulheres que usam acima dessa numeração (e que, portanto, não encontram roupas em todas as lojas), então esperamos ansiosamente que a indústria reconheça a diferença entre mid e plus size.

Leia também – Como se sentir bonita: práticas internas e externas

O termo mid size tem controvérsias?

Sim, mas as controvérsias já existiam antes do surgimento do termo. Veja bem, há diversas propagandas de roupas” plus size” que contratavam (e ainda contratam) modelos mid para representar as suas campanhas, sendo que elas não se encaixam na classificação prometida.

Essas marcas e lojas agem como se qualquer tamanho acima do 40 fosse plus, o que é danoso por conta dos motivos que explicamos no tópico anterior.

Felizmente, os conceitos ganharam notoriedade e as empresas estão passando a entender a importância de retratar a realidade de corpos reais, que não podem ser divididos somente em “magro” e “gordo”.

Como o Brasil recebeu o movimento mid size?

Aqui, o objetivo de não rotular os corpos femininos continua firme! As influenciadoras brasileiras contribuem ativamente com a #midsizefashion nas redes sociais, que reúne inspirações de looks compatíveis.

A título de curiosidade, uma trend bem interessante relacionada ao movimento se tornou popular nas redes sociais nacionais: a de se perguntar “isso é estilo ou só é estiloso por que ela é magra?“.

Como o nome sugere, ela consiste em analisar se looks de famosas considerados fashion realmente permanecem com esse título se eles forem vestidos por alguém mid ou plus size.

A influenciadora Amanda Pieroni posta vídeos com esse questionamento com frequência, vale a pena conferir no Instagram, no Youtube ou no Tiktok. Ah, e ela reforça que não tem interesse em criticar o corpo magro, e sim rever o conceito do que é estiloso.

Qual a diferença entre plus e mid size?

Na numeração das roupas, o primeiro termo define tamanhos acima do 48, enquanto o segundo contempla tamanho do 42 ao 46. Os dois movimentos prezam pela valorização do corpo feminino, tanto que estão sempre associados.

Além disso, as pautas de amor-próprio e autoestima estão presentes em ambos.

Você conhece o ditado popular: “a beleza está nos olhos de quem vê”? Pois, é exatamente isso que os movimentos prezam: ensinar a olhar o próprio corpo com mais carinho e se desvencilhar de preconceitos que definem o que é belo e o que não é.

Para aprender mais sobre a palavra, a sua origem e se é correto falar, confira o nosso post intitulado “O que é plus size?“.

Quais perfis mid size posso acompanhar?

As redes sociais costumam estar associadas com sentimentos ruins de comparação tóxica, mas nós propomos o seguinte: seguir perfis que te fazem bem!

Há diversas influenciadoras e marcas que podem te ajudar a trilhar um caminho de amor próprio através de dicas e conteúdos voltados para o público mid size. Veja as nossas principais sugestões!

Brasileiros

Quem não ama o jeitinho brasileiro? Temos influenciadoras nacionais que falam sobre assuntos sérios de uma forma leve e divertida, além de inspirar muito com looks cheios de estilo. Os seus perfis atuais no Instagram são:

  • @pieroniamanda;
  • @nannoca;
  • @eu.andy;
  • @naeteandreo;
  • @almariaplus.

Internacionais

Além de seguir as influenciadoras nacionais, vale a pena acompanhar as tendências internacionais. É ótimo para expandir os horizontes de combinações e ver que o movimento mid size está acontecendo de forma global. Inspire-se nos seguintes perfis:

  • @babeontheweb;
  • @midsizecollective;
  • @candicehuffine.

Leia também – As modelos plus size mais influentes do mundo

Como aderir ao movimento mid size?

É bem fácil e faz um bem danado para a nossa autoestima! Para começar, faça parte da comunidade midsize nas redes sociais, seguindo perfis de influenciadoras no Instagram, acompanhando eventos online e compartilhando os seus próprios insights.

Compartilhe fotos com todas as roupas que você se sente à vontade em usar sem medo, sejam elas criativas, ousadas, justas, largas, decotadas, com croppeds, biquínis, assim por diante.

Talvez você seja uma inspiração e ainda não saiba! Por isso, essa prática é essencial para fortalecer a comunidade mid e incluir mais diversidade nos feeds.

Por último, para aumentar o alcance das suas publicações, sugerimos usar hashtags relevantes como #midsize e #midsizefashion.

Faça parte do movimento body neutrality com a gente, você é bem-vinda exatamente do seu jeitinho!

E então, o que achou da nossa tour pelo termo mid size? É uma aventura que vale a pena continuar com os nossos conteúdos incríveis sobre autoestima e dicas de beleza!

Dica extra: caso ainda não tenha encontrado uma loja que oferece peças verdadeiramente estilosas em tamanhos amplos, sugerimos que você conheça a nossa loja online “Almaria Plus Size“. Espere encontrar tendências, moda e muita diversidade!

Rate article
Add a comment